Pesquisar este blog

Compartilhe



quarta-feira, 26 de abril de 2017

Sementes de Fé - 26/04/2017

Querida família, “A Paz esteja convosco”.
“Aquele que não poupou o seu próprio Filho, como não nos dará também com Ele todas as coisas”? (Rm 8,32).
A entrega de Cristo constitui um apelo urgente para que correspondamos a esse amor: fomos criados à imagem e semelhança de Deus, e Deus é amor. Por isso o coração do homem foi feito para amar, e, quanto mais ama, mais se identifica com Deus.
O amor de Deus por nós e vice-versa é um amor de mútua amizade. E uma das características próprias da amizade é o trato. Para amar o Senhor, é necessário conhece-lo, conversar com Ele. Conhecemo-lo quando meditamos a sua vida nos Evangelhos; conversamos com Ele quando oramos.
Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Monsenhor Antônio José de Moraes
Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

terça-feira, 25 de abril de 2017

Sementes de fé - 25/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco".

A caridade une, o orgulho separa. Os primeiros cristãos manifestavam o seu amor à Igreja de Cristo mediante a prática de uma caridade que venceu todas as barreiras sociais, econômicas, raciais e culturais. E todos rezavam uns pelos outros.

Nós também levaremos o mundo a Deus, se soubermos imitar os primeiros cristãos na sua compreensão e estima por todos, ainda que às vezes não sejamos correspondidos. E fortaleceremos na fé os que fraquejam, mediante o exemplo, a palavra e um trato sempre amável e acolhedor.

"O irmão ajudado por seu irmão é como uma cidade murada" (Prov. 18,19).

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

Sim a Deus não ao Demônio

Jesus se manifestou para destruir toda as obras do demônio

“Aquele que peca é do demônio, porque o demônio peca desde o princípio. Eis por que o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do demônio.” (IJo 3, 8)
Jesus veio a este mundo e se manifestou para destruir as obras do demônio, e justamente por isso que Ele vai até a cruz. Não dá para imaginar o quanto Jesus sofreu, e sofreu muito, tudo fruto da sua obediência ao Pai. Por isso, que Ele suou sangue naquela noite no Horto das Oliveiras: “Pai afasta de mim este cálice, mas não faça o que eu quero e sim o que tu queres.” Não podemos viver justificando os pecados, nos acostumar e ainda ajudar a outros: ‘Ah, isso não é pecado!’ Tornando-se assim um hábito viver no pecado. E, foi por este motivo que Jesus se manifestou para destruir toda as obras do demônio.

Vemos no Antigo Testamento o fato de Absalão, o filho muito querido de Davi querer matar o Pai por causa do trono. Foi porque Davi pecou, adulterando com Betsabé, esposa de Urias – um valente guerreiro da sua tropa de ‘Elite’. Depois de ter pecado, Davi para se justificar chama Urias para jantar com ele, embriaga-o e manda-o ir para casa dormir com a sua esposa para não desconfiar que ‘Betsabé’ estava grávida dele [Davi], mas Urias sendo obediente, temente a Deus e a seu rei, dormiu do lado de fora para proteger o rei diante do inimigo. Davi comete outro pecado mandando Urias para frente da batalha. Urias morre e Davi homenageia-o ‘descaradamente’, tomando Betsabé como esposa.
Natã, profeta de Deus é enviado a Davi para que pudesse ter com ele,  arrependendo sobe à montanha para pedir perdão. Quando Semei filho de Gera, em ISm 19,16 aparece praguejando Davi, os soldados queriam cortar a cabeça deste homem, mas, Davi reconheceu o seu pecado não permitindo nenhum mal a ele. Este homem aqui, é o demônio que vem e te acusa diante do pecado que cometeu, perturbando sua cabeça, mas, o Deus que Davi servia é misericordioso, por isso ele foi perdoado.
Veja o que o demônio faz com as pessoas; primeiro ele nos tenta levar ao pecado, depois nos oprime, e não conseguimos sair do pecado porque há uma opressão. A pessoa começa escutar vozes, começa a ver ‘coisas’, e o inimigo acaba possuindo aquela pessoa. Não pense que é história, que a parapsicologia tenta explicar e com desculpas, deixamos nossos irmãos padecerem assim, esquecendo-nos que Jesus se manifestou para revelar as obras do demônio.
Irmãos e irmãs em grandes quantidades continuam sendo possuídos na ignorância, e eis o motivo pelo qual o Filho do homem veio; para destruir as obras das trevas. Escape o mais depressa possível e não deixe para depois, para que você hoje dê o passo decisivo em ser o Senhor, único Deus e Salvador de tua vida.
Seu irmão,
Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova

http://padrejonas.cancaonova.com/informativos/noticias/sim-deus-nao-ao-demonio/

São Marcos Evangelista

Nos livros do Novo Testamento, Marcos é lembrado dez vezes, com nome hebraico de João, com o nome romano de Marcos ou com duplo nome de João Marcos. Para alguns estudiosos deveríamos distinguir dois ou mesmo três Marcos. Nós, a esta altura, aceitamos a opinião mais comum, isto é, a de um só Marcos, filho daquela Maria em cuja casa reuniam-se os primeiros cristãos de Jerusalém e onde foi se refugiar o próprio Pedro após a libertação prodigiosa do cárcere.

Marcos, judeu de origem, nasceu provavelmente fora da Palestina, de família abastada. São Pedro, que o chama “meu filho”, o teve certamente consigo em suas viagens a Roma, onde Marcos escrevera o Evangelho. A antiguidade cristã, a começar por Pápias, chama-o “intérprete de Pedro”, “Marcos, intérprete de Pedro, escreveu exatamente tudo aquilo de que se lembrava. Escreveu, porém, o que o Senhor disse ou fez, não segundo uma ordem. Marcos não ouviu diretamente o Senhor, nem o acompanhou; ele ouviu são Pedro, que dispunha seus ensinamentos conforme as necessidades”.

Além da familiaridade com são Pedro, o evangelista Marcos pôde orgulhar-se de longa convivência com o apóstolo são Paulo, com quem se encontrou pela primeira vez em 44, quando Paulo e Barnabé levaram a Jerusalém a generosa coleta da comunidade de Antioquia. De volta, Barnabé levou consigo o jovem sobrinho Marcos. Após a evangelização de Chipre, quando Paulo planejou uma viagem mais trabalhosa e arriscada ao coração da Ásia Menor, entre as populações pagãs do Tauro, Marcos – conforme lemos nos Atos dos Apóstolos – “se separou de Paulo e Barnabé e voltou a Jerusalém”. Depois Marcos voltou ao lado de Paulo quando este estava prisioneiro em Roma.

Em 66 são Paulo nos dá a última informação sobre Marcos, escrevendo da prisão romana a Timóteo: “Traga Marcos contigo. Posso necessitar de seus serviços”. Os dados cronológicos da vida de são Marcos permanecem duvidosos. Ele morreu provavelmente em 68 de morte natural, segundo uma tradição e, conforme outra tradição, foi mártir em Alexandria. As Atas de Marcos, escrito da metade do século IV, referem que Marcos, no dia 24 de abril, foi arrastado pelos pagãos pelas ruas de Alexandria, amarrado com cordas ao pescoço. Jogado ao cárcere, no dia seguinte, sofreu o mesmo tormento atroz e sucumbiu. A venda do seu corpo por dois comerciantes e mercadores de Veneza não passa de lenda (828). Porém, é graças a essa lenda que, de 976 a 1071, foi construída a estupenda basílica veneziana dedicada ao autor do segundo Evangelho, simbolizado pelo Leão.

Um santo para cada dia – Paulus Editora

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Não se afaste do Senhor!

Independente de nossos pecados, não nos afastemos do Senhor

Márcio Mendes, na manhã desta segunda-feira, dia 24 de abril de 2017, no programa ‘Sorrindo pra Vida’, orienta-nos a não nos afastarmos do Senhor, e, independente de nossos pecados, ficarmos sempre na presença d’Ele.
A Palavra meditada está em I Samuel 12,20-25:Samuel disse então ao povo: “Não tenhais medo! É verdade que cometestes um grande erro. Somente não vos afasteis do Senhor, mas servi-o de todo o coração. E não vos desvieis para entregar-vos a ídolos de nada, sem utilidade e incapazes de salvar, pois nada são. Certamente, o Senhor não se esquecerá do seu povo, em consideração a seu grande nome, pois o Senhor decidiu fazer de vós o seu povo. Quanto a mim, longe de mim que eu venha a pecar contra o Senhor deixando de orar por vós e de vos mostrar o caminho bom e reto. Temei somente ao Senhor e servi-o na verdade e de todo o coração, pois vistes as coisas grandiosas que realizou entre vós. Mas se perseverardes no mal, vós e o vosso rei perecereis”.

O pecado nos afasta de Deus, e à medida que ficamos longe d’Ele, o medo se apodera do nosso coração. Nossa ofensa ao Senhor foi grande? Não nos afastemos d’Ele, porque pecamos, mas, pelo contrário, coloquemo-nos a servi-lo de todo o coração.
Gênesis nos conta a história de Adão e Eva para compreendermos uma grande verdade, homem e mulher pecaram por sua escolha, e por vergonha de seu pecado se esconderam de Deus.

Servir ao Senhor de todo o coração

O maior erro que podemos ter nesta vida é fugirmos do Senhor. Não sabe viver quem não sabe rezar. Reza-se como se vive e vive-se como se reza. É pela oração que voltamos para Deus.
Vive mal quem tem o coração ruim. Não sabe viver quem não sabe rezar. Como é bom vermos mudança nas pessoas! Mas sem a oração a pessoa se deixa guiar pela vaidade, a qual não serve para nada.
A palavra vaidade significa vazio, e sem oração somos guiados pelo vazio. Coloquemos Deus no centro de nossa vida, para que não vivamos tristes ou sozinhos. Sem a oração não conseguimos dar boas coisas. O maligno é um estrategista e nos ataca por todos os lados.
Que posamos orar por aqueles que amamos. A oração é o momento que pedimos para Deus aquilo que nos falta. O Senhor é fiel e não permite que sejamos tentados acima de nossas forças. A tentação vem para nos desanimar.
Deus fará com que tenhamos tudo a nosso favor para suportar e vencer. A vontade de desistir está grande? Aguentemos firmes, pois somos do Senhor e Ele não se esquece de nós nem nos esquecerá.

Persevere em Deus

Com Deus podemos tudo, mas precisamos cooperar com Ele. Se Ele nos aponta um caminho e vamos para outro, de nada adianta declararmos que podemos tudo n’Aquele que nos fortalece, pois não estamos caminhando em Sua vontade. Se não nos unirmos a Deus, nossa vida se afundará.
Quem reza não é pego de surpresa pelo mal ou pelo inimigo. Escolher o mal é querer a derrota, o fracasso e a destruição. Perseverar no mal não se trata de cair no mal por descuido, mas sim por insistência de querer estar fazendo o mal.
O coração de pedra nos puxa para baixo. O que nos salvará do erro é não nos afastarmos do Senhor, pois Ele não se esquece de nós.
Márcio MendesMissionário da Comunidade Canção Nova

O Espírito Santo nos dará força

Precisamos ser sempre mais impregnados pelo Espírito Santo

O poder de Deus está em nosso alcance. Se os cristãos soubessem que o poder de Jesus está conosco, poderíamos transformar, curar, libertar do vício, transformar pessoas, famílias, estruturas, sociedades… Detemos a mais poderosa energia do mundo, o mais poderoso poder do mundo, e não o usamos.
“O fruto do Espírito, porém, é: amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, lealdade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não existe lei” (Gl 5,22-23).
Por isso o Senhor quer que a Renovação se revigore e seja mais e mais transformada pelo Espírito Santo. Recebemo-lo em nosso batismo, mas precisamos ser sempre mais impregnados pelo Espírito Santo, para sairmos dos comodismos e sermos testemunhas do Senhor.
É preciso levar ao mundo o maravilhoso poder de Deus, o poder mais impressionante que a Terra já viu, o poder de Jesus posto à disposição dos cristãos e da Igreja.
Seu irmão,
Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova


Sementes de fé - 24/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco".

No primeiro dia da semana, domingo, dois discípulos de Jesus iam para um povoado chamado Emaús. Enquanto conversavam sobre as coisas que tinham acontecido, Jesus se aproximou e começou a caminhar com eles, explicando-lhes todas as passagens da Escritura que falavam a respeito dele. Ao pararem para uma refeição, Jesus tomou o pão, abençoou-o, partiu-o e lhes distribuiu. Somente na fração do pão, eles reconheceram Jesus.

O símbolo, no sentido próprio da palavra, é o reconhecimento de uma presença e relação. É uma presença e relação que se tornam dinâmica e viva. A Eucaristia é justamente esta fração do pão que nos envolve na Vida Redentora de Jesus Ressuscitado.

Valorizemos a Missa Dominical, o grande tesouro identificador da nossa fé.

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

domingo, 23 de abril de 2017

Sementes de fé - 23/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco".

"Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: a paz esteja convosco". Será que foi apenas uma saudação? Não só, mas, principalmente a transmissão de sua presença ressuscitada, pois, Ele é a própria Paz.

Doravante, podemos enfrentar, com coragem e serenidade, as dificuldades e os desafios que nos envolvem a cada dia. Por isso, supliquemos a Paz de Cristo. Cultivemos ao nosso redor o bom humor do Espírito Santo, refutando qualquer expressão de violência e animosidade.

Neste domingo da Divina Misericórdia, exclamemos com o salmista: "Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom; eterna é a sua misericórdia".

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

sábado, 22 de abril de 2017

Sementes de fé - 22/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco"!

O túmulo vazio de Jesus evoca a Ressurreição, o Cristo ressuscitado, ausente do "local de morte", da escuridão do túmulo. Cristo venceu a morte ao ressuscitar dos mortos.

O túmulo vazio é um símbolo. Ele relembra aquele dia – o primeiro da semana, o domingo – em que três mulheres, pertencentes ao grupo de discípulos que seguia Jesus, foram ao túmulo com unguentos e ervas para preparar o corpo do Mestre, segundo os costumes judaicos. Porém, ao chegar ao sepulcro, viram que a grande pedra que o fechava tinha sido removida, deixando a passagem livre. Entraram e constataram, então, que o corpo de Jesus não estava lá.

"Por que procuram entre os mortos aquele que está vivo? Jesus ressuscitou, como havia dito".

A propósito, o coelhinho é símbolo da Páscoa, porque é um dos primeiros animais que saem das tocas ao chegar a primavera, após um longo inverno de recolhimento.

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Sementes de fé - 20/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco"!

O ovo é um símbolo de vida nova, de vida que está para nascer; é um símbolo de começo. Daí sua associação à Páscoa: a Ressurreição de Jesus também indica o princípio de uma nova vida, a redenção da própria humanidade e a promessa de um futuro de alegria e felicidade para os que têm fé e esperança.

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Sementes de fé - 19/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco"!

Na Vigília Pascal, acendemos o Círio, aquela vela grande e grossa. E estando a igreja ainda às escuras, adentramos na igreja com nossas velas, cantando: "Eis a Luz de Cristo"! Ao vermos a chama luminosa do Círio, realidade sensível, enxergamos, à luz da fé, a realidade invisível, Cristo, Luz da Vida. O símbolo é, portanto, esta modalidade de presença. 

No círio, há as letras gregas – o alfa e o ômega -, a primeira e a última daquele alfabeto. O alfa representa o princípio e o ômega, o fim, como Jesus nos disse: "Eu sou o princípio e o fim".

Na grande vela, há ainda a indicação dos quatro algarismos do ano em curso, simbolizando a presença viva de Jesus junto a todos os povos do mundo, com união de fé e de esperança.

"A Luz de Cristo que ressuscita resplandecente dissipe as trevas de nosso coração e de nossa mente".

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

 

terça-feira, 18 de abril de 2017

Sementes de fé - 18/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco"!

É comum ouvir dizer: "isto é só simbólico", ou seja, não é real. Esta falsa compreensão do sentido simbólico da realidade tem graves consequências, pois limita tudo à percepção meramente material. Muitas vezes, se reduz o sentido simbólico àquele alegórico, figurativo. É como se fosse sinônimo de fantasia.

Porém, sem a comunicação simbólica, a linguagem humana perde toda a sua sublimidade, espiritualidade e transcendência. Na verdade, o símbolo parte de uma realidade sensível, um conteúdo específico, remetendo-o a uma realidade insensível. A própria linguagem diária está impregnada de teor simbólico.

Portanto, sem ela corremos o risco de não compreender a linguagem bíblica, a ritualidade litúrgico-sacramental e outras sublimidades da expressão humana.

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

Postagens populares

Google Plus


Google+
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...